• Renato Martins

ÚLTIMO DEBATE: FRITADORES FORAM FRITADOS.




O debate da TV Cabo Branco em disparado foi o melhor de todos. Pelo menos no que diz respeito a clareza. Ele se notabilizou pela perseguição a Zé, que desta vez, trãquilo, botou os pingos nos "is". Teve oportunidade de passar muito a limpo. E o fez. Outro embate que se repetiu foi o de Tárcio e João. Com enorme superioridade do primeiro. Repetindo o desafio do PSOL ao pesebista para no mercado central provar que os professores não recebem o piso. João apequenou-se nesta hora e em muitas outras. Não teve a altivez de antes, parecia ter visto números reais de pesquisa antes do debate. Abatido, o candidato governista não conseguiu criar dados. Maior arma dele era esse artifício. Emparedado pelos fatos do seu governo, não foi bem sucedido. Mais que só na segurança, na agropecuária ele também não impediu a verdade de aparecer, Zé provou em números a diferença de tamanho, de ações e de projetos. No que diz respeito a geração de empregos e ainda mais flagrante sobre carga tributaria onerosa na luz, água e combustíveis, Tárcio Teixeira foi devastador contra o girassol. Inapelavelmente ilustrou seu discurso como a mostrar imagens, com sua voz, das contas mensais a esfregar na cara daquele que ora promete baixar magicamente a conta para os mais humildes. Só agora. Ainda vale lembrar o momento que João tentou criar dados e prêmios de eficiência de gestão, Zé de forma humilde lembrou do custo OS, do custo dos codificados e da diferença por exemplo, com setores como segurança e os policiais militares em numero insuficiente. Antes, em outros debates, Zé já tinha falado sobre a CRUZ VERMELHA pesada para o contribuinte, 13 milhões mês, cerca de 400% mais que na época de Zé, e infelizmente não corresponde em qualidade o seu custo. Alguém talvez teja ganhando com isso, menos o povo e a eficiência. Um abate de verdades impediu dados e prêmios suspeitos de prosperarem no grito. Ontem, em analogia a uma operação policial bem feita, João foi desarmado totalmente. Sem truques e sem máscara. Disparadamente ficou em quarto lugar de 4 contendores.

Lucélio tentou fazer sua parte para tentar desengordurar a vantagem de Zé, coisa que ele também deve ter visto em pesquisa interna antes do debate, ansioso, talvez por isso, e sem ter muito a falar mal sobre Zé, repetiu a mesma questão da pensão e do salário de senador. Zé lembrou a ele que é honesto desde sempre, comprovadamente, único ficha limpa mesmo, aliás, honesto e trabalhador desde cedo, tudo que tem é por mérito e não por graciosidades ou acordos como as que Lucélio e esposa tinham em gabinetes de deputado estadual e federal sem nunca terem sido vistos la. Mas a ênfase e grand finale mesmo, foi Maranhão lembrar que tem emprego e trabalho formal a vida toda, e deixou para o Cartaxo em questão, só a sugestão que de ele tinha ou tem como função na vida, a informalidade de ser sócio do irmão na gestão municipal. Ilustrando para essa tal sociedade dita por Lucélio nos debates, o inequívoco e doloso caso da lagoa tanto para a PF como para a CGU. Desta feita, nos próprios termos que Cartaxo quis conduzir o debate contra Maranhão, este aproveitou para reafirmar a legalidade e lisura antiga de sua saúde moral em todos os aspectos de sua vida longeva e confrontou-a com as estratégias de renda e ação do Cartaxo candidato. Um baile com direito a música e depois um carão educado, mas, com dedo em riste.

Lucélio ficou em terceiro lugar, pelo fraco desempenho de João. Tárcio, esqueceu um pouco Cabedelo e voltou a enxergar o estado e retomou protagonismo, ficando em segundo de forma bem distante dos que atras ficaram. E eu sempre aqui, crítico inclusive de Zé, desta vez falo por uma unanimidade fácil: óbvia. Em disparado, Zé mostrou experiencia, dados verdadeiros, firmeza de ser o único ficha limpa geral de verdade e uma energia de quem tinha visto números internos mais que animadores. No pique dos números de aprovação, foi empolgado para o embate, se superou superando tudo e a todos. Finalizou falando de Deus na luta contra máquinas, e, ainda assim, cá chegou na frente. Realmente, sobre ontem, nada há que se questionar. Em um debate vacinado, debate de verdades, deu Zé!

0 visualização