• Renato Martins

A BOA GESTÃO DO FATOR OPINIÃO PÚBLICA MELHORARÁ A GESTÃO PÚBLICA: NOSSA DISSERTAÇÃO

Atualizado: 24 de Out de 2018



Na foto do título, meus autores de base. Os 4 amigos inseparáveis neste final de mestrado. Trajetória com gosto de suor e sangue; de um saber que me descortinou outras visões de mundo, de economia, de pensar a justiça social de forma mais efetiva. Com parâmetros científicos. Mestrado, de renascimento mesmo. Reta final ainda não é contemplar, mas no meu caso, não preciso de paisagem, só de espelho mesmo: Todo dia me vejo mudado em extensão; releitura da história do mundo e do que quero de melhor para nosso cobalido nordeste, cheio de gestores que só querem falar de educação para propaganda. Gastam até mais nisso. Demonstraremos que bem gerir as relações com as opiniões das pessoas não é só fazer midia, mas criar novas relações sociais de sinergia para obter resultados socialmente desejados. Criarmos uma cultura da liberdade e do empreendedorismo gerador de almas capazes. E de forma livre, relegar ao estado o dever de garantir oportunidades igualitárias e bem prover a justiça. Só! Sem nos tutelar. Sem nos roubar impostos para usos incompetentes. Viver sala de aula e militância há todo instante, torna minha experiência teórica uma ferramenta prática já na origem. Sou da Práxis e sempre gostei de ler. Não há toa fiz 3 cursos diferentes (história, sociologia e filosofia – graduação do coração e do espírito). Disto gestarei algo universal sim.

Nossa dissertação no forno para dezembro, demonstrará que a Opinião Pública é elemento decisivo da Gestão Pública. Logo, Inserido adequadamente nela deve ser. Para tanto, nossa ideia é construirmos uma proposta de modelo funcional ideal para a “Gestão do Fator Opinião Pública” que favoreça uma relação estimuladora de boas práticas da gestão pelos servidores e políticos, pela interação permanente com o cidadão em 4 dimensões: 1- A gestão de crise como numa greve de caminhoneiros por exemplo; 2- Embates políticos de ações e reformas propostas pelo gestor no curso da gestão como na MP do teto de gastos; 3- Processo eleitoral e marketing político, e, por fim; 4- A aferição permanente da reputação do gestor e da gestão. Sua legitimidade à poder ampliar ações de mudanças na agenda da gestão pública. Pré-condição para bem planejar.

Nossa pesquisa, se Deus quiser, gerará um modelo de trabalho para a boa e moderna Gestão Pública, que terá que gerir esse fator OP- Opinião Pública, de forma proativa, conteudística, não só publicitária, mas, didática e radicalmente aberta. Contribuindo para o revitalizar da democracia em termos quantitativos e qualitativos. Gerador de resultados positivos. Plenamente aplicável na esfera federal, estadual e municipal.

48 visualizações