• Renato Martins

CASO EMPREENDER: A VERDADE QUE TODOS SABEM

Primeiro há que se absolver a ideia, o conceito, me lembro ainda na prefeitura, primeiras gestões girassóis, de muitos ambulantes beneficiados, dava orgulho falar do imposto que gerava o fundo do EMPREENDER e seus benefícios para uma sociedade de serviços como a nossa, com um povo em dificuldade e sem crédito na praça, como se diz nas ruas.

Paradoxalmente nada mais narra à epopeia do desvirtuamento girassol que esse programa, não se precisa auditores rebuscados para se constatar isso, embora nas lentas cortes os mesmos sejam imprescindíveis no aspecto forense. A auditoria confirmou que não há acompanhamento dos planos de negocio, não se tem comprovação alguma do uso do dinheiro (milhares de reais) por parte de quem contraiu o empréstimo e logo o fundo não é rotatório, ele vive dos impostos, atendendo menos e quem não merece. Desvirtuado na sua função de atender os empreendedores. Hoje o governo Pós-TRE vide caso EMPREENDER tenta cobrar compulsoriamente de seus prestadores e comissionados as parcelas do tal “empréstimo” e ai o mistério se desfaz, encontram-se todas as suas respostas. O levante dos que não tinham no pacote, no acordo.

O Programa EMPREENDER teve uma forte versão graciosa militante nos anos de 2014 e 2016. 2014 de forma espantosa, e pasmem em 2016 quando se recomendava comedimento eis que alguns girassóis que atuam nas redes sociais como paladinos algozes e em arrastões, arrastaram os recursos do fundo sob o argumento de que o negocio de ser ativista pegar dinheiro sem pagar e ter que votar no padrinho da vez é algo bem “produtivo” para o estado. Não, não o é. Só gera injustiças.

Pois é, amigos, alguém pode me perguntar: Mas Renato você viu isso e calou-se? E quem de fato pode apontar como apadrinhado que só recebeu os recursos? Bem, primeiro esse desvirtuamento foi intensificado na gestão do estado, conforme se prova a auditoria feita em 2014, eu não participava disso, alias graças a Deus fiquei de fora dessa forma de benesses por isso perdi, por isso tenho dignidade e legitimidade para falar. Em 2015 e 2016 fui vendo os líderes de membros de outras correntes laranjas “bons de papo” e de ocultar-se de pedidos da justiça sobre o caso (vide número de pedidos não respeitados por gestores que angariavam mimos e mais séquitos – Pelo trabalho de gestor postergador- isso mesmo, isso é item de ranking de gestão de qualidade), e outros ativistas até talvez idealistas, mas comentando indignados da “obrigatoriedade” de se pagar o empreender que o estado estava a fazer no contracheque de forma arbitraria e ilegal na visão deles porque não foi isso que o suposto padrinho falou (e foram vários) e a prática perdurou até 2016 quando, mais experimentado, claramente se vê nas listas do EMPREENDER e nas redes sociais aqueles que xingam outros políticos, uma “coincidente” igualdade de nomes. Mas faça um teste, pegue as fotos divulgadas nos sites de 2014, 2016, veja os candidatos centrais, olhes as pessoas ao redor, vejam seus nomes e vá lá à lista do EMPREENDER estadual (é difícil ver pelo caminho normal) eu só vi agora a pouco tempo por conta do processo no TRE, tem militante histórica com três membros da família, 3 PSs e 3 empreendedoras de levantar bandeiras e ela a matriarca, serve para falar mal das pessoas na internet, somente isso. O dinheiro do estado e os objetivos do programa que se explodam. Isso inclui familiares de blogueiros bem ativos em soltarem mentiras absurdas, assessores de deputados, vereadores e etc... Nada escapa dessa filosofia distorcida de EMPREENDEDORISMO. Só quem escapou disso fui eu, não tô lá, meus próximos não estão. Talvez alguns agora que sai disso possam ter entrado, mas não com apadrinhamento distorcido meu. Desafio! E posso a qualquer tempo pegar fotos e mostrar o tamanhão do EMPREENDER GRACIOSO e o segredo que todo mundo lá sabe. Na reunião onde me expulsaram não pediram uma reunião de ética para verem quantos tinham EMPREENDER DESVIRTUADO nas costas... Isso é desvio de recursos, isso é improbidade administrativa, isso é análogo ao crime organizado posto que exige um sem fim de remendos, de omissão de entrega de dados, esconde-esconde mesmo, com o TRE, TCE e o MPE, um disparate. E os méritos para quem assim agiu vem em forma de recompensa dourada. Não ter agido nisso me faz um derrotado? Não, na Paraíba que eu sonho.

Finalizo, afirmando que nessa eleição onde todos se conhecem e sabe bem quem destes tem parente e etc... lá na lista do EMPREENDER que nada de negócios tem, e vivem de redes sociais a caluniar, a listagem saiu. As mascaras caíram. A justiça não sei o que fará nem quando. Mas a ética do debate mostrará facilmente da onde vem tanta disposição para mentir em nome de um reinado envolto em escândalos e que não tem mais lençol de cetim que o cubra.

417 visualizações