• Renato Martins

CHEGOU SÓ EM PARTE DO NÚCLEO POLÍTICO: SAIBA SOBRE ESTE MOMENTO DE TIC TAC... PARA TUDO SE MOSTRAR


Não! Não vou falar de abuso de autoridade quebrando celular de popular humilde. Como o fez a citada deputada Estela. O desequilíbrio agora é de outra natureza. As investigações chegaram ao núcleo político. O Mecanismo da ORCRIM Giracruz esta agora mais claro: havia busca de empresas que pagariam propina, por pessoas autorizadas (por quem?); após isso, existiria tráfico de TR’s (Termos de Referência) para fraudar licitações; também tinham pessoas para estocagem, distribuição e lavagem de dinheiro. Não obstante, principalmente, muito dinheiro escoando para fortuna pessoal e muito dinheiro escoando para polític@s. Tudo feito com muito cuidado e alto nível de contra-inteligência. Com a propina chegando com artifícios que vão desde o uso do hangar oficial do estado, à escolta policial. Desta feita, eis que didaticamente farei este meu artigo ao inverso. De trás para frente, vamos lá:


5- Se engana quem acha que nós, blogueiros/jornalistas estamos sabendo de algo à frente dos culpados e investigados. Eles, os ímpios, estão a saber muito, sobre o que GAECO e PF já sabem neste momento. A rede deles de contra-inteligência, como diz o desembargador Ricardo Vital, é muito sofisticada. Eles compreendem o que já tá na mesa dos policiais. Ao menos em boa parte. Não à toa o silêncio, quando não blefe e sumiço dos membros da Giracruz.


4- A última aposta da ORCRIM seria que na primeira instância da justiça a Calvário seria barrada por artimanhas sujas. Só que eles não avaliaram que em geral, mesmos os menos graduados, estão vinculados a pessoas mais altas do núcleo político, com foro de segunda instância. Logo, a operação quase toda será comandada pela coragem, destemor e rigor jurídico de um desembargador isento, do quilate de um Ricardo Vital. E quem se levantar contra ele, estará acenando para a cumplicidade com a ORCRIM e sua roubalheira generalizada. Num atestado de cumplicidade com a corrupção orgânica que sofreu o estado; na saúde e educação, essas já comprovadamente.


3- A cleptocracia (governo dos que sabem roubar) foi detectada no nosso estado em forma de um câncer em estado avançado. Espalhado como se diz. Isto deve tomar a todos nós em reflexão. Membros do MP, MPF, PF, CGU, TCE, ouvidorias, conselhos gestores, políticos e sobretudo militantes sociais como eu, somados ao próprio cidadão eleitor, que vê seus serviços evaporarem e ainda assim, alguns creem no rouba mas faz. Faz mesmo o quê? Além de cobrar altos impostos para cobrir rombos desta mecânica. Assim, com politicagens desta forma, nossa crise apenas vai girando sobre si mesma. A cleptocracia da Paraíba deve ser passada a limpo. As mentiras destes não podem mais nos vencer! Agora são muitos os olhos e as experiências. E a reputação dos honestos, afetados por esta dinheirama toda, deve ser restaurada.


2- A assembleia vai ruir. Falamos de muitos mesmo. Seus agregados diretos também. A aposta central consiste em adivinhar se será a câmara federal ou a municipal que será impactada primeiro. A rigor, até pela prerrogativa de foro, penso que a segunda terá alguns de seus membros implicados em primeiro lugar, imediatamente após o apocalipse na AL...

1-O primeiro objetivo da ORCRIM era fisgar e intimidar João Azevedo para que o mesmo assumisse papel de escudeiro de tudo isso que vem se arrastando sobre o núcleo político da ORCRIM girassol. Queriam que ele esquecesse de gerir os problemas do estado, inclusive as dívidas, e passasse a fazer de tudo, legal ou não, para defender os ímprobos da vez... O governador se negou. A partir daí começaram as retaliações. Alguns amigos me falam em sabotagem de governo com direito a deixada de armadilhas para que o mesmo seja implicado também. Tudo no estilo chantagem mesmo. Coisa difícil de segurar. João precisa ser firme. Não há para ele segunda opção.


Fato é que figuras como a atual secretária de administração, planejamento, desenvolvimento humano, o DETRAN, a CODATA, CINEP, PBGÁS, LOTEP, peças da segurança pública e uma parte grande ainda da estrutura da saúde e educação simplesmente não tem explicação racional para permanecer. Como diz Raniere Paulino: “João precisa desricardizar seu governo sob pena de virar cúmplice”. Acrescento mais que isso até; João precisa sair desse “partido”. Como Cartaxo, que teve coragem para sair do PT, e a partir dali pavimentou sua reeleição de forma segura. Notem que o PT local sequer fez cara feia, na verdade ainda hoje tem bons laços. E olhe que não era o PT local o envolvido em corrupção, como no caso da ORCRIM Girassol.


Dá o que pensar:


“Errar é humano, permanecer no erro é ser cúmplice.”


P.S: A deputada Estela esqueceu apenas de explicar por que deu utilidade pública a uma recém-criada entidade Cruz Vermelha-PB? A possibilitando receber recursos estaduais? Isso da presidenta ter sido sua chefe de gabinete foi coincidência? Claro que esqueceu outras coisas como o Cuiá. Mas, isso e outras questões "fraternais" ficarão para as cenas do próximo capítulo.

230 visualizações