• Renato Martins

CURTAS DA SEMANA: SOS DECÊNCIA.



1- O esforço governamental em demonstrar que a prisão dos gestores da Cruz Vermelha-RS que, por estranha e não bem definida relação são também "operadores" do IPECEP-RJ (local da Operação Calvário), não afetam em nada os contratos locais com o estado, é injustificável, posto que ambas são das maiores OSs que gerem recursos estaduais da nossa saúde. O modus de gestão delas nos diz respeito sim. Estas notas e entrevistas de nossos gestores que buscam tratar o problema deste Calvário como algo Interna Corporis das 2 entidades demonstram das duas hipóteses uma: ou se trata de cumplicidade orgânica da qual o medo não permite desatamento de nó; ou, por outro lado, incompreensão total dos princípios da gestão pública, pois não é somente a palavra do GAECO-RJ em jogo, trata-se de um contrato já questionado por auditores do TCE, que falam em inúmeros gastos sem licitação devida; quarteirizados, superfaturados e, relações com empresas suspeitas de existirem somente para servir a essas OSs. Algumas criadas pouco antes de contrato milionário com estas. No mínimo deveria haver revisão/rescisão contratual imediata para averiguação. Como Agra fez quando prefeito no caso da SP Alimentação por exemplo. RC lembra bem deste tempo por ter feito este polêmico contrato de terceirização da merenda escolar.


2- Impressiona o desempenho do PROCON-JP Na gestão do vereador Helton Renê. Numa ponta fiscalizando e autuando empresas que ocupam nossas calçadas indevidamente e na outra ajudando clientes a limparem seu nome facilitando uma negociação ótima entre as partes. Muita presença e resultados positivos. Experiencia que deu certo essa de tornar o PROCON uma secretaria municipal. Votei a favor na época mesmo sendo líder da oposição.


3- A tendência pró-impunidade circula o mecanismo do judiciário em nossa capital federal. Impressiona o cinismo geral das autoridades em busca de brechas na opinião pública para facilitar a vida da turma que saqueia nossa nação...


4- A boa relação entre Manuel e Cartaxo, trouxe mais um benefício para nossa Jampa. A liberação dos recursos para a recuperação da barreira do Cabo Branco. Promessa antiga de muitos, e por muitos vacilos da gestão Cartaxo I e omissões estaduais, temos um ciclo de indas e vindas de "ondas" de recursos não utilizados que esperamos agora ter chegado ao fim. A barreira do Cabo Branco é um património geológico de interesse cientifico mundial pois sua composição comprova a unificação de nosso continente com a África no período conhecido por pangeia.

145 visualizações