• Renato Martins

CURTAS DA SEMANA: RC X DIEGO TAVARES E VALDSON X LIVÂNIA




CORAGEM PARA NÃO TER CORAGEM: a postura pusilânime e sem amor próprio dos Felicianos foi recompensada nas urnas. O doutor foi eleito federal com mais votos que antes, talvez recompensado pelo mago com alguma magia. Destas que estão fora de moda. Já sua esposa, nada de novo na terra do nunca. VIVA O PODER! No sentido do verbo viver.


PRIMEIRO MINISTRO: como o blog em primeira mão vem a falar, Valdson Souza caminha célere para assumir o comando da hermética central de compras do estado. Sugiro que, como diz a lei, em sua possível gestão, os termos de referência das licitações sejam blindados de todos os concorrentes, para que sejam "abertos" numa competição justa onde o vencedor seja o contribuinte pagando pelo melhor preço, sem camisões de força ou coisas do tipo. A sociedade quer melhorias e votou nessa retórica de melhorar o que não tivesse bem no projeto...


NOVO GOVERNADOR: discreto e sem criar pseudo-agendas infantis, do tipo eu sou lado A o lado B é meu inimigo, João Azevedo vem de forma natural ganhando espaço no imaginário do eleitorado, que agora é que vai o conhecendo, justamente pelo fator inverso do seu sucedido, ou seja: não age de forma teatral. A originalidade já é um ponto de inovação e coloca muita pulga atrás da orelha na turma da farra no jardim


CARTAXO E A VOLTA DOS QUE NÃO FORAM: sem pauta, ainda assustado com as palavras inequívocas das urnas, o prefeito tenta em vão polarizar, sem sucesso, com seu opositor principal, Ricardo Coutinho. Que por sua vez desdenha quase que rindo dos golpes de espada de papel de seu adversário, que parece até o momento rendido por ele para 2020. Cartaxo falou 2 coisas: que a oposição unida seria mais forte, parecendo esquecer que mesmo em JP João teve mais que o dobro da votação dos adversários e que o tamanho de sua gestão tão mostrada no guia não lhe deu o fôlego esperado; na segunda fala pública anunciou a volta dos que não foram, o bom articulador Zenedy, o competente e correto Amorim e o pretenso prefeitável, o simpático Diego Tavares (já pensou um debate Diego x RC - comprem suas pipocas). Todos retornando em fila indiana, como numa procissão com aqueles risos sob efeito de foto demorada...

DÁ O QUE PENSAR:

"É fundamental pensarmos em convocarmos o potencial solidário e a força de mobilização social das igrejas e ONGs sérias do país para fazermos uma cruzada de ações favoráveis ao crescimento do espírito empreendedor no país; sem essa de convênios graciosos ao estilo girassol paraibano; falo de parcerias pensando em servir ao povo para que a fé tenha também obra, e assim, com menos recursos da parte do governo, nos equipamentos sociais e com RH destas instituições como contrapartidas vocacionadas, podemos atender muito mais pessoas que precisam da igualdade de oportunidade para crescer de fato. Bolsonaro e sua esposa que me parece ter esse feeling tem essa oportunidade histórica de fazer o que chamei na câmara municipal de PPSC- Parceria Público Sociedade Civil Organizada."

Renato Martins

194 visualizações