• Renato Martins

CURTAS E QUENTES: O TEMPORAL!

Atualizado: 20 de Fev de 2019


1- Das poucas defesas vindas da sociedade: das vozes quase inaudíveis que ouvi sobre o flagrante e incontroverso áudio dos secretários estaduais, um me chamou a atenção por se tratar de um doutor da UFPB. Deixou-me a pergunta: tanta evolução cognitiva só para se agachar por necessidade... O texto torturava a realidade da conversa a ponto de tentar fazê-la não mais existir. Coisa do tipo sofisma do absurdo. Uma defesa do ex-governador, cara demais, até para a inteligência dos mais atrofiados dos seus alunos. Saber “abstrato”, politicamente engajado com efeito contrário, colateral.

2- Sobre o silêncio dos deputados da base: O GAECO-RJ, mais que revelações, deixou uma métrica de atuação investigativa séria, um protocolo. Se seguido aqui, muito além das OSs Cruz e IPECEP, teríamos as caixas de vinho e etc.. Faladas pelo fantástico, junto com as caixas pretas faladas pelo procurador Eduardo varandas, do MPT, em recente entrevista sobre o escândalo da saúde. Lembrando ele, que possivelmente o mesmo ocorra na educação. O que inclui aí, as compras por inexigibilidade (vulgo inex) de livros, laboratórios, e outros mimos que tudo indica, quase sempre vem em lista, não de material escolar... O resultado é o silêncio dos deputados e vereadores do núcleo governista; silêncio que nada tem haver com RC, mas, sobretudo com eles mesmos. Com efeito muito mais forte para as(os) mais aconchegadas ao poder. Viviam com foto como em pose de papagaio. Agora, estarão lá, na linha de frente da lista de órgãos independentes como o MPF e a PF de outros estados.

3- O silêncio do ex-governador: previsível. Falaria o quê; que não pudesse ser usado contra ele mesmo, ante todos os indícios de avanços que se tem notícia nas hostes de diversos órgãos bem distantes de seu alcance.

4- O áudio dos secretários da PMJP: São graves também. Não tem o mesmo caráter flagrante de armação e sobrepreço, como os das autoridades do governo estadual, mas parecem terem sidos feitos em dialeto estranho a moralidade. O secretario de saúde Adalberto Fulgêncio, parecia querer falar com Diego Tavares, de algo em uma língua diferente da nossa, tamanha sua tentativa de confundir a dosagem de revelação com segredos – uma codificação que em muitos momentos do papo se revelou inútil. A nota de resposta dos dois secretários municipais é absolutamente insuficiente. De cara, deveriam se afastar para averiguação. Não fazer isso é um tiro no pé de Cartaxo. Além do que, é a Mercúrio, uma empresa com ligações com a SES (Secretaria Estadual de Saúde), de Claudia Veras, órgão, hoje também imerso na Operação Calvário. Sabe-se lá, se não há indícios de sobrepreço dessa empresa no estado... E se o próprio núcleo político do governo, que dispõe de equipamentos sofisticados, lançou isso por ter já esse entendimento cruzado. O poder é doce, mas requer integridade constante. Logo, erra Cartaxo em não tomar medidas firmes e exemplares de cara. Passa recibo com CNPJ análogo aos que estão afundados na lama das novas revelações.



5- Drenagem urbana: As inundações da cidade também são agravadas por falta de limpeza preventiva nos rios e sistema de escoamento pluvial da cidade, como túneis e bueiros. Revela também ausência de coleta seletiva na cidade. Não é culpa de São José, não! E nem é fenômeno climático inédito, castigo do céu. Sempre temos, anos após ano, dias de chuvas intensas. Inclusive com o transbordo de peixe. Eu, quando vereador, filmei várias vezes, rupturas do novo túnel da lagoa em dias assim. É lei nossa a que fala da sistematização da Coleta Seletiva. Só em dias assim o tema volta a ficar em evidência. Sem canais fluídos, sem rios e galerias limpos, sem bocas de lobo desentupidas, em geral por resíduos recicláveis, a natureza sempre vence e encontra seu jeito.


Necessário ações assim na cidade... Como também nos nossos rios.


DÁ O QUE PENSAR:


O tempo da verdade pode vir com tragédias, pode não trazer indenizações, pode conter tristeza até maior que o tempo da mentira. Pode arriscar vidas dos que nela perseveraram. Mas nada enobrece tanto o espirito, nenhuma outra tarefa é tao honrada!!!.

Eu.

0 visualização