• Renato Martins

CURTAS IMPACTANTES DO PÓS-CONVENÇÕES: SOBRE PERGUNTAS COM RESPOSTAS.



1- Nas convenções as máquinas funcionaram bem para efeitos de imagem. Aparência de fato! Pessoas a revelarem tamanhos de máquinas, não emoções nem visões críticas do eleitor no seu todo. Isso as urnas demonstrarão. Aliás essa talvez seja uma eleição onde a aparência não tenha mais o efeito manipulador de antes. E por quê digo isso? O desgaste da política como sinônimo de desonestidade e impostos altos sem eficiência faz com que um palanque lotado de partidos com políticos sorridentes, seja o mesmo que a imagem de uma mesa de mafiosos gulosos, esbanjando seus delitos como méritos à disputar títulos de nobreza, gritando com os intimidados garçons achando que a gorjeta basta para "serviçais". Não, as gorjetas eleitorais, as BU’s da vida não mais bastam... Nesta conjuntura a fartura de politicagem nos apoios revela mais verdades podres que as frases de efeito dos que falam bem. A simplicidade e a honestidade largam na frente, não por estarem nos out-dooors, mas por expressarem o desejo de uma faxina ética de uma maioria cansada de pagar as contas e ainda ser obrigada a aplaudir. Assim como PSs, os codificados e os garçons sofridos servindo a máfia; há algo diferente neste banquete, que esta tudo dentro do coração destes. A comida será servida fria, pelos eleitores “garçons”. Soberba será tiro pela culatra!


2- Impressiona o espírito de engajamento dos que se predispõem a votar em Maranhão por ser o único comprovadamente honesto e realizador. Há a idéia de Davi x Golias, de vencer máquinas administrativas que reproduzem tudo de mais obscuro da velha politica. Um sentimento íntimo de acerto que compensa o ego. Faz obstáculo parecer estímulo. Uma auto-estima de se estar do lado ético, um orgulho indizível do votar, quase extinto na politica profissional em voga. Uma surpresa para alguns. Nem tanto para outros, atentos ao novo perfil do eleitor exigente. A postura é como se todos fossem candidatos juntos. Todos e todas!



3- O PT demonstra que nem ele leva a sério essa tese de golpistas. Se levassem será que entre estes golpistas estariam, por exemplo, o jovem deputado André Amaral? Que era do MDB, defensor de Temer e quase Ministro da Cultura. Registrando que eu mesmo torci por ele nessa articulação ministerial. E não me arrependo pois o acho um quadro novo e muito promissor. Entretanto, com este histórico que deveria lhe colocar na lista negra do PT, hoje, nas atuais eleições, ele é do PROS, e coligado adivinhem com quem? Isso mesmo, com o PT. Logo, o voto petista na proporcional pode eleger deputados estaduais do PROS que, assim como os dirigentes petistas, tão nem aí para esse tema de golpe. Faz isso parecer só peça retórica de marketing para incensar as massas. E só. Basta olhar a própria conduta das alianças do PT aqui e alhures no país. Não há o tal idealismo. O lema 2018 poderia ser: em vez dos gritos de "FORA GOLPISTAS" ou "LULA LIVRE"; um mais realista tipo "VIVA O PRAGMATISMO". Seria mais transparente com o eleitor petista.


4- A turma de cúpula dos Cartaxos a cada dia se assustam mais com os odores fortes advindos do caso “lagoa”. Um caminho, em que os girassóis são expertos, é tentar procrastinar ao máximo. Estes, alguns laranjas, são campeões de inquéritos e investigações no MP e MPF ainda não decididos. Exceto o Jampa Digital condenado pela PF e igualmente não julgado, de resto, do caso hospital de Cacimba de Dentro no TCE ao Empreender no TRE, loas as tartarugas que, pelo menos por lá, não estão em extinção. Os Cartaxos, ainda verdes nisto, não poderão fugir as regras dos laranjas... Senão a lagoa vai transbordar. Entre os ditos favoritos; só os vermelhos de Maranhão dormem e acordam tranquilos. Ficha limpa de verdade em todas as instâncias e órgãos.

110 visualizações