• Renato Martins

DESTAQUE: MEU DIREITO DE RESPOSTA

Atualizado: 5 de Ago de 2018

O prefeito Luciano Cartaxo com aprovação nas urnas, inconteste em 2016, disse em entrevista recente que eu não era um aliado como se pensava, claro ele pensa, e eu também, isso já nos une, iguala. Em parte. O pensar sobre mim já tá feito, permita-me no meu modesto espaço também falar o meu, já que na grande imprensa ainda não tive direito de resposta. A minha opinião demonstrada em 4 anos de mandato como vereador, é que sua gestão, prefeito, é "mediana", precária em muitos itens essenciais, mas reafirmo que a população soberanamente a reelegeu à frente da gestão da cidade, e isso em si, lhe dá sim a legitimidade da maioria democrática em oposição ao que penso que poderia ser muito melhor. Sou minoria, mas não inexisto por isso.


Mas agora vamos ao "aliado desleal" em questão, que alguns de seus porta vozes falam até de voto (eu mesmo só tenho o meu e acho justo todos terem só um voto mesmo). Optei em tentar moralizar a ação na Câmara, assinei CPIs a investigar todas as duas grande máquinas - Estado e PMJP - da CPI do Empreender, passando pela DESK, FUNETEC, ENERGISA, GARI MILIONÁRIO, SP ALIMENTAÇÃO, CAGEPA, CUÍA, Assassinatos de Jovens não Esclarecidos como o de Bruno Ernesto, até a CPI do JAMPA DIGITAL. Claro isso não sairia impune eleitoralmente por estas forças. Mas ainda assim honrosamente sou um dos suplentes mais votado da cidade. Três eleitos tem menos votos do que eu.


É justamente nesta postura que faço minha resposta. A mesma de pedir auditorias públicas para reanalisar concessões de transporte coletivo, coleta de lixo e zona azul (esta também fui ao MP para averiguar irregularidades) foi a mesma que usei para ir na vanguarda da investigação da obra da Lagoa. supostas 200 mil toneladas retiradas, equivalem a todo o lixo da cidade em um ano, e para isso vemos compactadores e toda uma estrutura cara que simplesmente não vi na dita obra, que teve este item obscuro regiamente pago com nosso recurso. Logo, como vereador, responsavelmente passei a investigar ela criteriosamente, vejamos: Fui ao aterro constatar que não entrou nem perto disso; Procurei o posto de gasolina que teoricamente deveria ter abastecido milhares de litros para fazer a rota Lagoa-aterro e não obtivemos nem perto do exigido para tal façanha; procuramos proprietários/motoristas dos tais caminhões que fizeram o transbordo, não achamos mais que 6. Visitei três rompimentos com "peixes" do túnel que foi feito em baixa qualidade em desacordo com o edital. O resto sobre superfaturamentos e batimetria inadequada basta ler no relatório da CGU e da Polícia Federal.


Dito isso, eu como líder da oposição a época, cumprindo minha obrigação de ser um investigador pessoal do caso, fui a justiça para implantar a CPI da Lagoa, inclusive ganhei em primeira instância. Fomos com outros colegas na PF, no MPF e no MP. E em todos, a confirmação de nossas investigações deu resultado positivo.


Então finalizo, prefeito eleito, dizendo que sou aliado, antes sim da honestidade. Posso quebrar a cara, me decepcionar, ser traído, não ter como responder na mídia contra as versões dos endinheirados. Mas isso não impede de continuar tentando. E minha ação científica de apuracão dos fatos neste caso não deixa dúvidas dos erros graves cometidos em prejuízo do erário público e ainda a serem definidos os culpados pela justiça que nosso Brasil tanto precisa.

Este critério, tão essencial hoje, a honestidade, me faz apoiar Maranhão, que ao contrário, inequivocamente é honesto de forma confirmada por todas as instâncias de controle do país. Inclusive a imprensa.


Mas desejo muita luz a sua autoridade, na gestão da cidade que tanto pode aperfeiçoar mais e mais na via da democracia mesmo com seus limites que as vezes favorecem improvisos de toda ordem. Até políticas.

255 visualizações