• Renato Martins

ESPECIAL: OS DIAS 'D' - SUA CRONOLOGIA.


Não teremos, apenas, um único dia D. Uma data de ponto de ruptura simbólica de virada de jogo no combate a corrupção sistêmica no estado, que hoje, pelo tamanho e provas, desinibe até as instituições locais mais inertes. O tamanho das coisas que se avolumam, apontam uma metástase mortal. Infelizmente, mais para o povo usuário dos serviços públicos de improviso que, para uma pequena turma das mansões, viagens e propriedades de empresas de fachada ora descobertas. As investigações andam em duas frentes no mínimo: a da PF, que reputo estar bem mais adiantada; e o GAECO local, andando mais rápido que outrora. Vamos numa rápida supervisão, ficar a par das últimas novidades:


08/02 - MPF abre Inquérito Civil Público para investigar 234 milhões de R$, destinado a duas OSs (Organização social) contratadas na educação do estado. Tratam-se da INSAÚDE e ECOS, que tem indícios, como afirma o procurador do trabalho Eduardo Varandas do MPT, que atuam no mesmo Modus Operandi da saúde. Nesta investigação FEDERAL que avança fortemente, e aborda elementos de irregularidades supostamente descobertos desde a feitura do termo de referência, por meios "não formais", heterodoxos digamos, bem ao estilo do que foi conversado por Valdson e Gilberto no áudio vazado investigado pelo MP. Só que neste caso, os protagonistas teriam sido outros medalhões gulosos... Aqui, tem-se uma linha investigativa intensa que pode possivelmente, também, ligar uma dessas OSs diretamente à pessoa de Daniel Gomes, como uma espécie de bônus... Como foi a Cruz vermelha paraibana para a Deputada Estela Isabel que pediu utilidade pública e indicou sua chefe de gabinete na época. Tão rápida quanto hoje age para não haver CPI da máfia das OSs;

18/02 - Informes dão conta de que Leandro Nunes chega por volta de 14 horas no Gaeco e saí de lá pelas 19 horas. 5 horas de conversa ainda não revelada. Deputados, vereadores e outros agentes públicos e políticos mais graduados não tem como dormir...

19/02 - Deputados governistas barram a CPI da cruz vermelha. Eu digo e repito, aqui não se trata de defender Ricardo, de quem nenhum deles sequer cita mais o nome. O caso aqui é defesa direta de vários deles mesmos, que tiveram tête-a-tête com Leandro, Livania & cia...

20/02 - É intenso os comentários dos avanços da PF, em sua divisão apropriada na capital federal, sobre empresas usadas para lavagem de dinheiro de figurões e chefão. Com algumas de esquina e, outras mais, sendo uma delas, uma gigante do estado. Também abundam relatos de pessoas que falaram a PF e ao GAECO de forma anônima ou não. Desde denúncias na gestão ainda feita de forma direta na maternidade Frei Damião, que vão do "excesso' de compra de oxigênio até as inúmeras pessoas físicas e jurídicas, todos bem próximos do núcleo duro abastado, agora visto em flagra com diversas rendas entrecruzadas por "trânsito" de influência, sem que o dia tenha horas suficientes para tamanha dedicação de alta remuneração. Coisas tipo pós-república. Lista do esquema que cresce turno a turno.


A NOVA NOVIDADE - ENGENHOSIDADE SEM FIM: A PF anda nos encalços de deputado que "tem" o privilegio de loja de Pague Fácil, e, em 2016, com a maquineta portátil de quitação de contas como água e energia, supostamente a usou de forma "experimental" para compra de votos delivery, para um candidato a vereador consanguíneo na época. A reposição financeira deste expediente espúrio e nocivo aos recursos do povo e a democracia, seria com dinheiro sujo de origem em caixas e que talvez já até estejam identificadas. O pior; o sucesso parece que fez a coisa virar franquia, explode denúncias de outros parlamentares amigados que se valeram do mesmo expediente, desta vez em 2018.


DÁ O QUE PENSAR:


A inércia dos órgãos investigativos locais foi definitivamente rompida, até estes terão que agir. Moro está a par de tudo que ocorre por aqui. Inclusive de todos os áudios vazados. Digo que mudanças profundas haverão de ocorrer, escuta-se que muitos já estão falando e depondo sem o mesmo estardalhaço público que Leandro Nunes da SEAD causou. A verdade reporá as posições dos justos e honestos que se recusaram a compor estes esquemas de ORCRIM. A ética do crime organizado em agremiações da política não pode prosperar mais. Muito menos os seus lideres, a democracia se torna disfuncional. Sem credibilidade. Além de gestores e ex, já na rede, teremos muitas mudanças na assembléia e na câmara municipal, e, talvez, respingue em responsáveis por inquéritos flagrantes que não andaram por motivos que se começa a descobrir. As revelações por virem não perdem em nada para o caso Sérgio Cabral. A diferença é o tamanho do estado e a ingenuidade e pobreza do nosso povo.

161 visualizações