• Renato Martins

EXCLUSIVO: A SUPOSTA ASSESSORA DE HERVÁZIO QUE PODE VIRAR PRIMEIRA-DAMA DO ESTADO!

Vejam só essa: É possível que tenhamos como primeira-dama do Estado, uma ex-assessora do suplente de deputado Hervázio (PSB), visto que o esposo dela pode vencer a eleição vindoura ao governo. Trata-se da mulher de Lucélio Cartaxo (PV), a senhora Romeika. A mesma, de acordo com o SAGRES, foi assessora do deputado Lindolfo Pires, e tende sim, se seguiram a lei, e o dever de trabalhar corretamente full time como todo bom comissionado faz. Ter sido também assessora parlamentar de Hervázio, justamente o dedicado líder do governo que curiosamente ela pretende mudar. Como assim? Vocês devem estar em dúvidas. Vos digo, na verdade, que não é só provável essa assessoria ter ocorrido como é o certo aos olhos da lei, e, também, para com o recurso do povo paraibano. Povo uma boa parte hoje desempregado ou em subempregos mal remunerados, como os PSs da PMJP e Estado por exemplo. Mas não era essa a situação da atual pretendente à primeira-dama do estado. “Trabalhando” no ar-condicionado do gabinete de Hervázio, a mesma recebia mais de 5 mil reais mensais. Teoricamente ajudando para o bom suporte à defesa da gestão estadual que tão bem faz o deputado Hervázio. De forma competentíssima aliás.

Ainda assim, sei que vocês devem estar curiosos com as “provas” da ocorrência deste tão bem remunerado “trabalho”. Vamos lá! O suplente Hervázio, não indica assessores, salvo acordos com o titular da vaga, pois elas são as mesmas para qualquer que seja o deputado a estar na titularidade. Logo, os assessores são indicados pelo titular, porém, servem ao parlamentar que estiver no gabinete de sua lotação. Vamos passo a passo para explicar melhor essa mistura alquímica com o erário público. Caprichosamente, Romeika, em sendo assessora do Deputado Lindolfo Pires, que passou a maior parte do tempo em secretarias do Estado, licenciado do parlamento, deve ter sido necessariamente cedida ao seu suplente, e, no caso, o primeiro suplente da coligação é justamente Hervásio, a quem cabe regimentalmente dar a presença da assessoria que lhe dá suporte, atestando o ponto dos seus trabalhadores, que devem obrigatoriamente servir não só ao deputado, mas ao povo paraibano numa última análise. Que é quem paga a conta deste estatismo.

Considerando que nenhum servidor pode receber sem trabalhar; isto em hipótese alguma. Sendo isso improbidade administrativa e flagrante desvio de recursos. Quero crer que ela não era uma funcionária fantasma com presença graciosa e ilegal dada pelo nobre suplente. A lei, o regimento e o MP não permitem arrumadinhos. Situação curiosa, nesta conjuntura pós lava-jato, onde honestidade deve valer algo, inclusive nas listas de presenças dos gabinetes.

O detalhe é que ou estamos diante de uma possível primeira-dama já experiente na convivência diária com os deputados, pela rotina “intensa” com o líder. Sendo assim um ponto positivo para ela, e uma vantagem a mais para uma futura gestão Lúcelio. Ou, em outra hipótese, de forma desprovida de virtude, e, eivada de possíveis vícios políticos, que quero crer não ter ocorrido, ambos, Hervázio e Romeika, terem sido partícipes, coniventes com experiências no que de mais errado possa existir da velha politica. A saber: Ausência de zelo com o recurso público da parte de quem deveria cuidar bem dos nossos pesados impostos. #esclarecer faz bem ao bom debate e ajuda o eleitor a tirar conclusões sobre as condutas reais de seus pretensos líderes.

500 visualizações