• Renato Martins

FINALMENTE HABEMUS DEBATE! DO PEGA NA MENTIRA AOS BONS DESAFIOS...


Foto retirada da internet


Hoje tivemos um debate! valeu pelos 2 que já ocorreram. Nele tivemos mudança nos desempenhos. Vejamos: João Azevedo, o sempre plasticamente mais bem postado, com seu agir estilo RC, historicamente vitorioso, abusou da arte de jogar dados e números de gestão ao leo, e, em assim fazendo, não teve a sorte que sempre acompanhou o atual governador. Este quando nos debates criava leitos, escolas e maternidades - uma em cada cidade- além de soluções na segurança pública para 6 meses, um "40 anos em 4" estilo "ganhar no grito" que, no teatro da politica, saiu-se muito bem por sinal. Incólume. Não tropeçava nas suas invenções. Fazia-se acreditar. Hoje, com adversários já vacinados, em dois momentos pegaram o pupilo João na palavra; uma quando ele falou que o governo tem boa eficiência atestada pela Folha de S. Paulo. Um sofisma flagrante. Na verdade, pela notícia, nem obtivemos nota de aprovação em setores nodais como saúde e educação para entrar no rol dos aprovados, dos eficientes. Logo seria mais algo do tipo "papai eu reprovei, mas em reprovando fui um dos melhores". Dai pra cima, no debate, só restaria prometer empenho para o ano seguinte, nunca ludibriar o resultado. Não foi eficiente isso. Cartaxo que não é bobo, foi em cima. João balançou feio neste ponto.

Agora o grande cheque-mate em João quem deu foi Tárcio. O candidato governista, talvez por má assessoria, num empolgar cego, esbravetou que a educação do estado paga mais que o piso nacional da categoria aos professores. E o fez desaforadamente, como faz seu mentor. Apostando alto na estorinha dita ainda desafiou os candidatos a lhe desmentirem. Ele falou em mais de 3 mil reais de salário aos professores. O tiro aqui saiu pela culatra total. Totalmente! O candidato do PSOL não contou pipoca e aceitou o desafio, chamou ele para logo mais cedo, as 7 da manhã, estarem numa escola estadual para verem ao vivo e a cores, os contra-cheques dos professores, e de quebra recebeu um provocante adicional -"Traga o seu contra-cheque candidato e explique o fato de receber muito acima do teto". Para avançar ainda mais o desmonte, a pouca eloquente Rama Dantas(PSTU) lembrou dos professores aposentados com salários congelados há 2 anos e abaixo do piso. Esse deslize custou a João o primeiro debate. O primeiro derrotado dos 3 primeiros. Lucélio, menos por si mesmo, bem mais pelos erros de João, ficou na frente. Deu a sua torcida o que estava engasgado nos outros dois debates. Tárcio, por sua vez, ainda vai faturar mais, amanhã ele irá à escola, mostrará os contracheques. Pontuará bem junto aos professores. Maranhão não soube aproveitar o tempo, foi bem nas perguntas, sobretudo quando sobre as OSs terceirizadoras. Zé, neste debate focou em suas realizações na saúde, eletrificação e energia limpa. Chamou a atenção para o fato do nosso Trauma está 4 vezes mais caro para o povo do que em sua época, sem ter 4 vezes mais atendimento ou efetividade. Tem muito a falar e precisa ficar mais ligado, talvez seja sua estratégia não protagonizar no momento. Rama melhorou do seu primeiro debate, e como todos os outros, se beneficiou das derrapadas de João. No entanto anda muito longe, em capacidade de emitir mensagens, do seu companheiro de campo ideológico do PSOL.

383 visualizações