• Renato Martins

GIRASSÓIS NA MARRA: GRAVAÇÕES E TODO O RESTO À PROVAR O TRE.



Quem pensava que o zap seria o circuito das fake news, e isso seria o terror dos políticos, se enganou. No zap circula fatos a velocidade da luz, e o eleitor sabe bem ver o que procede e o que não procede dos mesmos. Os precedentes das coisas. E os que querem na marra "dobrar" a mente das pessoas com fantasias imediatistas, estão tendo como obstáculo não mais o TRE, mas o próprio Zap. A coligação liderada pelo PSB, ancorada no poder público a se refestelar em estrutura de visitas qualificadas no mínimo suspeitas na forma. Tenho muitos prints de servidores, via zaps, sendo "obrigados-convidados" a irem ao 'trabalho' de militância mesmo eles tendendo secretamente por outra candidatura. Porém, na forma como fazem ou vão ou rua. Desde marido de superintendente da SUPLAN à irmã de governador, os abusos com os contratados abundam. Bem mais que as licitações suspeitas, em inquéritos e denúncias, medições de obras fraudadas no TCE, e até documentos falsificados de defesa. Temos nisso todo o costume de "casa" destes indo a rua nestas eleições: "os mais fracos sofrem mais" me narra um servidor da educação obrigado a ter terceiro turno em sinal e caminhada; "alguns só tem o turno da rua e recebem só para isso. Mas eu tenho que botar gasolina e ir, e ainda trabalhar ganhando menos que os que só servem para isso" fala uma amiga enfermeira da saúde. Tudo isso abunda em zaps. O zap agora é um fator novo de realidades antes ocultas. Só imaginadas.

No entanto, nada poderia ser mais definitivo que a voz da poderosa irmã do governador, Dra. Sandra Coutinho, a desnudar o impeto e a fúria da ordem do núcleo central para com os seus (nossos na verdade) contratados. Explicitismo indevido com os assalariados colaboradores e com a democracia. No link aqui - https://tanaarea.com.br/politica/em-audio-irma-de-ricardo-ameaca-demitir-servidores-que-participarem-da-campanha-de-azevedo/ - pode-se ouvir sua voz a "convencer a força" os contratados com o erário público. Nosso dinheiro.

O cinismo das práticas desonestas começam a transbordar no MP em situações como os documentos falsificados para apagar o grave caso DESK de compra superfaturada de móveis escolares; o inusitado e em forte investigação, o tal golpe de seguro de casa ocorrido em Sousa por militantes laranjas; o TRE a dizer que o TCU atesta os superfaturamentos em obras do bilionário e lento canal Acuã, e, por fim, o julgamento do Empreender a chegar por aí... Tardio mas recheado de provas robustas. A verdade quanto mais aparecer, melhor para o eleitor. Todos são responsáveis para este iluminar...



148 visualizações