• Renato Martins

O DEBATE QUE NÃO ACABOU!



Foto retirada da internet

Como previsto pelo blog, Tárcio não perdeu a pegada do debate de ontem na TV MASTER, acossado de forma acintosa, e, agora, podemos denominar também de forma alegórica, blefada pelo candidato do governo (falamos assim pelo fato de que se João estivesse desafiando a sério o membro do PSOL, teria ido à escola hoje, desmoralizando-o com a "verdade" que ele tentou ontem passar a força, pelo tom do desafio que ele mesmo propôs), Tárcio conseguiu dupla função em sua jornada matutina, ressaltou que a luta dos professores pelo Piso Nacional do Magistério é legítima na Paraíba. A categoria tem gratificações que as vezes cobre indevidamente esse déficit salarial, de forma precária. Não se leva para a aposentadoria o que não é salário e nem se tem de forma segura o que não é do PCCR. A pegadinha salarial tornou-se exposta pela pegadinha do debate. O episódio colocou na agenda da mídia política mais uma "Verdade Oculta" que nas milionárias propagandas estatais não são levadas a sua essência. E na essência, tudo difere e muito da aparência. O piso, como salário que deve ser, não é pago aos professores. Fato! O piso nacional é salário.




Para agravar a tensão do momento, houve tiros advindos de um assalto, no Castelo Branco, arredores da escola, na hora da live no face feita pelo PSOL. Assusta o assalto e a circunstância política da verdade mostrada. Verdade não é para atrair balas; só aplausos!


P.S: Na sua live, Tárcio queria analisar também a legalidade dos 'contracheques' acima do teto constitucional, recebido pelo candidato João em sua temporada no estado.

Pense num blefe de muito valor simbólico para o eleitor. Caça aos dados incorretos ditos pelos candidatos. Caça Mentiras! A democracia agradece.

135 visualizações