• Renato Martins

OS ÚLTIMOS SEGUNDOS DE RC...


Teatro é também uma forma de comunicação. Expressão por sinal que permite muitos recursos performáticos e de sensibilização dos sentidos. Hoje, em nosso mundo digital de informações fluídas de velocidade mais que com qualidade, sabemos que um importante fator de sucesso da Gestão Pública e dos seus gestores é ter atenção com os embates de opinião pública. Como tudo na vida, essa questão posta, quando zelada com virtude pelo gestor, temos mais democracia, verdades técnicas e inovação. Já quando não, sobra muito charlatanismo, propaganda cara sem conteúdo, e muito personalismo com aplaudintes às custas do erário público. Agora me permitam analisar sob a luz dos fatos e sob o prisma dito acima, os últimos passos do governo RC:


1- As emoções de Baco: muitos jantares, almoços e etc... Tudo segmentado e personalizado. É festa de adeus para secretários, outra para deputados, outra para lideres políticos do interior, imagino que haverá o dos amigos e familiares, e depois, talvez até sobre restos, como sempre, para um conviva mais comesinha com os militantes de rua menos abastados e etc... Enfim, tudo regado a comida boa e os bons vinhos do mundo, talvez incluindo aí, as famosas lagostas da granja. A questão não é o direito de se despedir. Cada qual faz do seu tempo, fígado e estômago o que quiser. O problema é sermos nós a pagarmos a conta dessas festas Dionisíacas numa crise onde muitos terão ceia sem galeto. Por conta destes excessos desta esquerda coletivista caviar e de mentiras. Só isso. Já pensou quantas despedidas e encontros familiares se dão em dezembro. E se todos tivéssemos essa boquinha; perdão... No caso: bocona.

1.1- Fico com o exemplo de Bolsonaro, que mesmo antes de assumir, ao receber o representante do poderoso Trump em nosso país, o serviu café com bolo. Austeridade não nos faz passar vergonha. O contrário faz.


2- Tragédia Grega: Ele fez um "evento" para criar a Lei "Escola sem Censura". Aqui o teatro dos últimos segundos dele apresenta um momento de tragédia. Pela seriedade do tema educação, bem melhor que criar uma 'Escola sem Censura', seria ter criado uma Escola com Ciência, uma Escola sem Corrupção, uma escola livre de laboratórios e livros superfaturados, O.Ss suspeitas, com tudo isso sendo investigado e sem respostas ainda... Por isso, numa gestão de "Educação e Escolas Investigadas", entre atos cênicos como o de ontem, eu optaria me despedir com uma Escola com Respeito e Valorização ao Professor. Afirmar que o professor agora está livre??? livre de quê mesmo? Ato teatral de marketing realmente estilo tragédia pelo valor da educação para a vida. Nonsense!

2.1- A pauta de Bolsonaro em 2019 é Escola com Ciência. Escola sem Corrupção e a serviço de gerarmos brasileiros empreendedores, conscientes por si mesmos e capazes de produzirmos riquezas para distribuirmos pelo trabalho, com todos. E não só a burocratas licitadores e fornecedores amigados ociosos e bem "arrumados".


3- Opera bufa: RC criou um risível e obscuro MCT - Mecanismo de Combate a Tortura. Aqui amigos, o teatro desses segundos finais virou comédia mesmo. Opera bufa de péssima qualidade. Esse MCT é uma autarquia? Parece que não. Conselho não o é, pois já existe; sim amigos, já existe conselho para debater a tortura. Logo, o que é essa piada? Esses 3 membros serão remunerados e ficarão onde? Farão o que mesmo e contra quem; que seja diferente do que as leis, os parlamentos, e as instituições e o próprio conselho já não podem fazer. Bem, esse teatro foi de todos a piada que só pode tirar risos pela profunda falta de lógica. Tipo humor show de bobagens exageradas estilo Pânico na Band ou Pegadinhas do Munção. Bom, mas já que o dito MCT existe, e estão a levar meus impostos, sugiro que esse MCT investigue o caso de execução e tortura que sofreu o jovem Bruno Ernesto em 2012. Uma mãe está sem rir há anos desde que ele passou pela gestão do Jampa Digital e daí foi brutalmente executado na nuca, por arma e munição do estado sob a gestão RC. Bem leitores, na ausência do que estes fazerem, peço que ajudem nisso com seus super-poderes invisíveis MCT. Já encontrei função séria para vocês após esse fechar de cortinas. Façam algo!


3.1- Bolsonaro leva a sério a questão da violência. Não brincaria jamais com isso. Defende inteligência investigativa, reforço e valorização das polícias, bem como o fim da impunidade. Com ele não haverá PROPINODUTOS obstruídos de cima para baixo. Combater os ladrões de rua e os da alta sociedade é igualmente importante para o novo governo e um país de paz que precisa crescer economicamente livre da trava da violência. Aliás, combater a corrupção, coisa que o governo RC não o fez, nem preparou a polícia para isso, melhorará o país que hoje está arrasado. Sem investimentos, empregos e ausência de programas sociais resolutivos. E o pior ainda pode estar por vir, quando se abrir o BNDES lá e a caixa preta das OSs da saúde e educação cá.


Dá o que pensar:


Ansioso aguardando a COAF com Moro, investigando a todos. Sem exceção. Inclusive abençoados do governo do estado que ganham menos de 20 mil e "parecem" ter patrimônios de muitos milhões. Dentro e fora do país. Alguns, consorciados nas coberturas da vida. Infelizmente parte disso, suponho, tá em malas e mochilas, e não em contas bancárias com ações nominadas como a maioria dos honestos agem.


Renato Martins


187 visualizações