• Renato Martins

VEJA TABELA DAS 3 PESQUISAS OFICIAIS PELO TSE. O QUE SÓ VOCÊ PODE VER...






Antes, registro que a pesquisa Ibope de ontem, pela Rede Globo/TV Cabo Branco repercutida nacionalmente, reflete fidedignamente os números internos da campanha de Zé. Olhando por este caminho há uma homogeneidade de números clara. Certa integridade que converge mais, com a calmaria das ruas. Nelas a tendência fixa do eleitor pela honestidade e rejeição à aventuras e disputas milionárias pelo poder tem ritmo e números constantes e com os representantes das máquinas sempre atrás. No entanto, pesquisa interna o nome já diz, é privativa aos coordenadores de campanha, ao público, só o que for legalmente permitido. E aí, quando vamos as comparações nas 3 pesquisas oficias pelo TSE, até agora, vemos sobressaltos tremendos, quedas e subidas colossais.



AS 3 PESQUISAS EM CONJUNTO: em 3 de agosto, revelou-se uma pesquisa polêmica de 24 de julho, abortada pelo sistema correio de forma estranha, aqui no blog, apontamos neste movimento, o primeiro erro dos Cartaxos, que foram citados nesta "trama" por acusação do governador. Com indícios fortes, sejamos justos. Nela, João era o primeiro com 24%; Lucélio 20% em segundo; Maranhão em terceiro com 17%; Lígia com 3%; Tárcio 1%; indecisos 15% e nulos 20%. Atenção para estes dois últimos itens. Vejam bem, depois desta, o Instituto Consult, já sem o nome de lígia, que foi à vice do PSB novamente, numa ópera bufa que parece não ter feito os espectadores rirem, talvez até a imagem dos dois unidos, nos "santinhos" tenha efeito perverso e contrário, como a lembrar aos eleitores, do risco do maquiavelismo na política. Digo isso, posto que em 14 de agosto, a pesquisa mostrou alterações que formam tendência para cima de zé, indo de 17 para 22,50%, um crescimento de 5,50 pontos em 20 dias. João cai 3 pontos, fica em 21,35%, o que o visual da campanha com muita "estrutura", e o rugir dos debates, mesmo com números suspeitos, aparentava outra coisa. Cartaxo cai 4 pontos e fica com 16, Tárcio fica na mesma, os indecisos caem para 12% e os nulos sobem 5 pontos. Ontem

o IBOPE/TV GLOBO, anunciou a sua, que apura o efeito de três debates televisivos extensos, muito iguais por sinal, afora diversos comícios e entrevistas segmentadas de todos. Nela reencontramos os números de sempre, o das internas, mas, de acordo com as outras; Maranhão dispara em 30 dias 14 pontos, vai a 31% e se consolida como uma onda há 40 dias da eleição, saindo de baixo, dos 17, para colocar 13% a frente do restante. Isto sem estrutura ou, como disse o Jornal Globo News, sem a salada mista de partidos que, sem programa afinado algum, abundam em êxito de politicagem, tal como os candidatos com máquina optaram agir, entretanto, descolados do desejo popular de integridade. Azevedo, cai drasticamente, vejam bem, dramaticamente, tudo de opulento feito até agora, já visto por aí e ainda por se descortinar(o blog já com muitaaas novidades exclusivas - algumas tristes para os sofridos serviços essenciais), revelou um resultado negativo de 7 pontos em 30 dias, de 24 para 17%. Cartaxo oscila, no entanto cai mais que sobe, foi de 20 para 16% em 20 dias e agora aparece com 18%. Tárcio triplica de 1 para 3 pontos, resultado do seu bom desempenho em debate; não se mostrar laranja; independente e bem orientado pelo amigo professor Lúcio Flávio. Polarizando com o PSB, e sempre tirando vantagem dos deslizes retóricos falaciosos tão bem sabidos por este intelectual que admiro muito e aqui desejo força pela partida recente de sua Mãe... Pesa positivamente também, para o PSOL, o bem abraçar da causa do servidor público.


Os números IBOPE, demonstram já algo mais maduro, onde indecisos caem para 8%, com os nulos inalterados a comprovarem sua solidez. Revelam também a briga forte pela vaga no segundo turno entre as máquinas. Elas podem "suicidarem", morrer abraçados em suas impropriedades reveladas mutuamente, ou juntas, numa atitude pouco provável, e de resultados incertos, unirem-se para atacarem Maranhão, o Davi, que honesto comprovadamente, não os teme. E, a se julgar pelo histórico e afrontador discurso de ontem, em seu comitê (que mostrarei em matéria especial no próximo post), as aguarda com muita saúde física e a outra, muito importante neste pleito, a saúde moral! que hoje dita o ritmo da campanha e o faz disparar num gesto livre e autônomo do eleitor. Algo do tipo: porquê o eleitor quer... Como disse no blog, até postei a #FICAADICA, e muitos ainda não caíram as fichas, nesta eleição, menos é mais, pois o que vale é a integridade formada pela honestidade e capacidade de servir, não de se 'pabularem' com números invisíveis, para não dizer falsos.

385 visualizações